Dia 25 de julho, dia da mulher negra. Temos algo para comemorar?

Afro-American woman with flawless skin and long eyelashes

O Dia da Mulher Negra é comemorado no dia 25 de julho, instituído pelo governo do Brasil pela Lei nº 12.987/2014 em 2014. Essa data é comemorada desde o início do século XXI, no Brasil.

Só em Mato Grosso, por exemplo, das 92 mulheres mortas no ano de 2017, 70 eram negras. Já no Brasil, foram 3.288 negras contra 1.544 mulheres que não são negras. O Estado ocupa a décima quinta posição do mais violento para negras para este mesmo ano, em comparação com outros a Bahia foi a mais violenta com um número de 417.

O homicídio de mulheres negras aumentou 29,6% entre os anos de 2007 e 2017, em Mato Grosso, enquanto a morte de mulheres não negras caiu quase 50%, segundo Atlas da Violência. Lançado na primeira semana de junho), os dados são do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), e do Fórum Brasileiro de Segurança.

No Brasil, o número de homicídios de mulheres aumentou de 30,7% nesses dez anos pesquisados pelo Ipea. Só em Mato Grosso, foram 1.056 vítimas.

Mulheres sofrem inúmeras dificuldades na entrada no mercado de trabalho, maiores risco de desemprego, segregação ocupacional e discriminação nos rendimentos, as taxas de desemprego de mulheres crescem mais e permanecem mais elevadas do que as dos homens, além do tempo de procura de trabalho, ser maior para as mulheres. A segregação ocupacional refere-se ao papel das mulheres estarem relacionados a papéis tradicionais, responsáveis pelos cuidados domésticos.

Comentários Facebook