O xadrez do poder político.

No dia 05/02 o presidente Jair Messias Bolsonaro colocou os governos estaduais em xeque ao ser questionado sobre o aumento dos combustíveis. O presidente disse baixar os valores quatro vezes e não viu o repasse nas bombas e desafiou os Estados. “Eu retiro o imposto federal do combustível se os governos (retirar) os ICMS dos estados, está lançado o desafio aos governadores” disse Bolsonaro. “Eu zero na hora o imposto federal se eles zerarem os estaduais, feito o desafio agora se toparem aceito”. O presidente chamou a responsabilidade para os governadores de cada estados brasileiros e causou uma grande repercussão nas redes sociais. O governador do estado de Mato Grosso Mauro Mendes a princípio não aceitou o desafio o que te custou uma repercussão negativa no estado através de rede social, povo se manifestou repudiando Mendes, sobre sua posição a respeito de zerar o ICMS do combustível em Mato Grosso. Mendes e sua equipe preocupada com a repercussão negativa analisando o tamanho da imensidão da negativa resolveu devolver ao presidente a responsabilidade uma espécie de xeque-mate ou em popular devolver a pedrada na mesma força e medida. Mendes disse: “desafio aceito se Bolsonaro pagar o repasse estadual cerca de 40 milhões referentes a dívidas pendentes com o estado o FEX 2018/2019 e as perdas da lei Kandir fazendo isso desafio aceito” e devolveu a responsabilidade ao Presidente tentando se safar do julgamento popular dos cidadãos Matogrossense.

Comentários Facebook