Prefeitura paga para 4 bombeiros militares o valor de 20 bombeiros cívil

A nossa redação obteve o conhecimento de um convênio entre estado e município onde o município pode contratar militares de folga para exercer funções para cidade.

Um ato que não é ilegal porém meio estranho dependendo do ponto de vista de cada cidadão.

Mata à margem do Rio Vermelho próxima as terras indígenas

Pois bem estamos na estação climática de seca e Rondonópolis é cercada por matas, e os cidadãos já começa a sofrer com as queimadas ao entorno da cidade.

Já passamos para o 4° dia de fumaça intensa tanto no período diurno e noturno, o que causa doenças respiratórias e deixa pessoa com doenças crônicas atacados.

Com essa situação problemática acontecendo, o Paço Municipal resolveu disponibilizar 3 homens 1 viatura e um tambor para ajudar no combate às chamas na mata.

Porém chegou a nosso conhecimento que não se trata de apenas 3 homens e sim 7 contando com os 4 bombeiros militares contratados para atuar em sua folga pelo município.

A questão é que o município vai pagar para os 4 militares que já são pagos pelo governo para fazer seus serviços cotidianos, e o mais grave é que somando a hora trabalhada de cada um dos militares dá o equivalente de 20 bombeiros cívil preparados também para o combate.

Isso mesmo que vocês entendeu 4 militares equivalente à 20 bombeiros cívil.

Não entendemos essa matéria do prefeito onde menos combatentes é mais ações de combate.

Em conversa com um bombeiro cívil ele nos informou que 16 bombeiros cívil e um caminhão pipa mais alguns equipamentos o resultado desse fogo não seria tão impactante.

Em outras gestões existia a brigada Municipal que reforçava o auxílio aos bombeiros militares no combate, o que será que mudou agora.

O que não dá pra entender que estratégia é essa do Paço Municipal de deixar de mão um contrato de 20 bombeiros cívil para ficar apenas com 4 bombeiros militares.

Comentários Facebook