Botelho destaca ação conjunta para ajudar famílias durante a pandemia


Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) deverá aprovar um projeto de lei, nesta semana, para amenizar o sofrimento de inúmeras famílias durante o momento de pandemia da Covid-19. Trata-se do programa emergencial “Ser Família”, lançado pelo governador Mauro Mendes (DEM) e a primeira-dama Virginia Mendes, nessa terça-feira (16), no Palácio Paiaguás. Agora, o projeto de lei segue à ALMT para entrar na pauta desta quarta-feira (17). O auxílio será de R$ 150 para compra de alimentos a 100 mil famílias de Mato Grosso, durante três meses.

De acordo com o primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), a iniciativa idealizada pela primeira-dama e realizada em parceria do governo com a Assembleia, é mais uma importante ferramenta para ajudar milhares de cidadãos a enfrentar as dificuldades causadas em decorrência da pandemia e reforça a necessidade do trabalho em conjunto pela geração de emprego e renda.

A previsão é que sejam aportados R$ 45 milhões para subsidiar o auxílio. Destes, R$ 35 milhões serão retirados da Fonte 100 do Executivo e R$ 10 milhões serão aportados pela Assembleia Legislativa.

“Precisamos trabalhar para fazer a distribuição de renda e geração de empregos. Temos um estado que está ficando rico para poucos, com uma concentração de renda muito grande. Então, o governo tem essa obrigação de arrecadar dos grandes [produtores], distribuir e investir nos pequenos, como os da agricultura familiar. Tenho defendido muito isso, esse programa vai ajudar porque dará condições para essas pessoas de comprar nas feiras e nos pequenos comércios. É um projeto que partiu da Assembleia Legislativa, os deputados já vinham pedindo ao governo desde o ano passado. Agora, a Assembleia vai participar, inclusive, com recursos. Esperamos que seja aprovado o projeto de lei, se não amanhã (17), mas que seja ainda nesta semana”, informou Botelho.

PROGRAMA – Durante o lançamento, o governo informou que o recurso será destinado às famílias em situação de extrema pobreza, com renda familiar mensal de R$ 89 por pessoa. Serão distribuídos 100 mil cartões às famílias já inscritas no CadÚnico (Cadastro Único) para serem gastos exclusivamente com alimentação. Beneficiários do Bolsa Família também terão direito.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook