Cuca projeta novas conquistas pelo Galo


“Mostrar para eles a importância de vestir a camisa do Galo e buscar conquistas dentro do Atlético”, afirmou o técnico Cuca, sobre o que passará aos jogadores.

O novo comandante alvinegro foi apresentado pelo Atlético na tarde desta terça-feira (16), no Centro de Experiências da Arena MRV. Ele assinou contrato por duas temporadas.

A apresentação do treinador, que dirigiu o Galo na histórica conquista da Libertadores de 2013, foi feita pelo presidente Sérgio Coelho, o diretor de Futebol Rodrigo Caetano e o gerente de Futebol Victor Bagy.

Sérgio Coelho desejou pronta recuperação à Dona Nilde, mão do treinador, acometida pela Covid-19. Ele afirmou ser um prazer receber o técnico na futura casa do Galo, a Arena MRV, e disse que o nome de Cuca foi unanimidade entre os demais membros da diretoria e do órgão colegiado que participa da administração do Clube, também composto por José Murilo Procópio (vice-presidente), Ricardo Guimarães, Rafael Menin, Renato Salvador e Rubens Menin.

“O bom filho á casa torna”, disse o presidente. “Quando nos reunimos para escolher o  treinador, o seu nome foi o primeiro que veio e foi unânime”, afirmou. “Temos a ambição de lutar por todos os títulos, com a gestão mais profissional da América Latina, e faremos parte dessa história”.

Rodrigo Caetano revelou o desejo antigo de trabalhar com o treinador e falou que, para ele, é motivo de orgulho presenciar o retorno de um dos maiores ídolos da Massa, uma vez que o técnico Cuca, juntamente com os atletas, foi protagonista de uma das maiores conquistas do Galo, a Libertadores de 2013.

“A gente espera repetir isso com o retorno dele”, afirmou. “Sempre foi um desejo pessoal, como diretor esportivo, tê-lo como técnico e é um momento de encontro de objetivos”, disse. “Não tinha outra casa melhor para ele vir do que a sua própria casa”.

Victor Bagy também deu as boas-vindas ao novo comandante atleticano: “Quando se tem um projeto ambicioso e grandiosos como o Atlético tem, você precisa contar com pessoas vitoriosas e o Cuca é um vitorioso do futebol”, afirmou.

Cuca agradeceu as palavras de carinho e a calorosa recepção: “Obrigado a todos vocês pela confiança e prometo que farei meu máximo, como fiz da outra vez que passe aqui”, disse o treinador.

Em sua primeira passagem pelo Galo, de agosto de 2011 a dezembro de 2013, Cuca também conquistou os títulos do Campeonato Mineiro em 2012 e 2013, além do vice-campeonato brasileiro em 2012.

Apresentação: Cuca - 16.03.2021

Confira alguns temas abordados por Cuca em sua apresentação:

Retorno ao Galo – “Não foi uma decisão fácil por esse momento de saúde da minha mãe, mas era uma vontade grande que eu tinha de voltar a trabalhar aqui no Galo”.

Confiança – “Lógico que sei o tamanho da responsabilidade que tenho aqui, mas também tenho muita confiança”.

Títulos – “A gente tem essa ambição.  Não sei qual competição vamos buscar, mas tenho o desejo de disputar todas com a máxima vontade para ser campeão. Temos um elenco fortíssimo e  vamos procurar tirar o máximo de cada um em benefício disso”.

Estilo de jogo – “Sempre tento por a equipe o mais para frente possível, com organização. O Sampaoli também é assim, mas cada um tem uma maneira tática de jogar. Gosto muito do plano tático”.

Elenco  – “Temos um time recheado de grandes jogadores. Nosso desafio é extrair o máximo de cada um, não deixando aqueles que estiverem fora ficar desmobilizados”.

Reforços – “Às vezes, você tem em casa o que procura fora. Então, nada melhor que o tempo de treinamento e alguns jogos para você entender o que tem. É preciso deixar os jogadores mostrarem o seu potencial. Temos que dar esse tempo a eles e, a partir daí, entender se tem ou não necessidade de alguma contratação”.

Temporada – “Temos, praticamente, um jogo a cada três dias e meio, e vai se usar todo mundo. Tem jogadores selecionáveis, lesões, suspensões, momento ruim, então, você acaba usando todos porque são muitos jogo e as competições são muito duras também”.

Base – Da última vez que vim, a gente aproveitou bem a base. Não me lembro quantos, mas foram importantes. Hoje, o Atlético tem 45 jogadores, é impossível trabalhar com esse número de atletas. Você tem que diminuir para ter um trabalho mais bem dirigido, não tem outra saída. Mas, se tiver algum menino despontando, automaticamente será escalado”.

Sistema de jogo – “Tendo um grande elenco, você precisa saber distribuir as peças, encaixar o sistema de jogo. Cada treinador te a sua dinâmica. Pretendo, em curto espaço de tempo, avaliar o elenco e definir um time titular, quem luta com quem, e pelo quê, porque o jogador precisa disso. Sempre me comprometo a colocar em campo quem desempenha melhor nos treinos e jogos, e vai ser assim aqui também”.

Nacho – “Gostava muito de ver a maneira que ele jogava, ora mais atrás, ora mais adiantado. É um jogador com uma dinâmica muito grande. Está, ainda, em fase de adaptação física, climática, e vamos precisar ter paciência, mas a confiança em cima dele é muito grande. É um jogador muito versátil, gosto de jogador assim, que pode atuar em mais de uma função”

Herança do trabalho de Sampaoli – “Ele deixa uma espinha dorsal e uma consistência de trabalho muito fortes, que vamos aproveitar, sem dúvida nenhuma. Cada um tem uma forma de jogar e gosto muito da maneira que ele atua porque varia muito de estilo. Também gosto assim, de ter diversos estilos”

Força – “Tenho certeza que vamos lutar em cada campeonato para ter a conquista. Claro que existem outros times que também vão lutar, mas vejo o Galo como uma equipe a lutar de frente contra qualquer outra do Brasil”.

Recado para a Massa – “O Galo é fortíssimo e essa força vem da arquibancada. Hoje, infelizmente, não temos a arquibancada, mas os jogadores acompanham o movimento do torcedor via rede social. Então, que o torcedor acredite, apoie esse time. Vou tentar tirar o máximo de cada um e dar o meu máximo para que tenhamos conquistas”.

Comentários Facebook