Sindicato pede apoio a Botelho pela vacinação de motoristas do transporte coletivo


Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

Preocupados com o alto índice de contaminação da Covid-19, representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários da Baixada Cuiabana (Sintrobac/MT) recorreram ao primeiro-secretário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Eduardo Botelho (DEM), nesta sexta-feira (19), para pedir que a categoria seja incluída na lista prioritária de vacinação. Em seu gabinete, Botelho recebeu o presidente do Sintrobac, Edval Luiz Pereira de Souza, o vice-presidente do sindicato, Olmir Justino, a diretora Maria do Carmo e assegurou que vai levar a demanda ao governo do estado.
O Sintrobac representa os trabalhadores do transporte rodoviário de 24 municípios mato-grossenses, somando cerca de 10 mil trabalhadores, sendo 1,8 mil motoristas do transporte coletivo.
Ao considerar de suma importância a reivindicação, Botelho garantiu que vai apresentar um requerimento, em parceria com o líder do governo na ALMT, deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), para solicitar a iniciativa ao governo, bem como agendará uma visita para tratar sobre o assunto pessoalmente com o governador Mauro Mendes (DEM).
“É uma proposta viável. Motoristas carregam várias pessoas, ônibus cheios, mesmo sendo feitas algumas adaptações para o combate ao coronavírus, a situação é preocupante porque não tem como manter o distanciamento social. É uma situação muito complexa. Vaciná-los vai ser uma forma até de ajudar as pessoas que acabam tendo contato com eles [motoristas], haja vista que têm vários motoristas contaminados, alguns morreram, têm alguns intubados. A reivindicação é justa e vamos encaminhá-la para prefeitos, governo e tenho certeza que será atendida”, disse Botelho, ao lamentar as inúmeras vidas perdidas, diante à difícil realidade mundial.
Na reunião, o presidente do Sintrobac, Edval Luiz Pereira de Souza agradeceu o empenho do parlamentar em apoiar a luta da categoria. Expôs a necessidade de priorizar a vacinação dos profissionais, principalmente, aos do transporte coletivo que enfrentam aglomerações.
“Estou saindo com esperança. O deputado nos recebeu muito bem, entendeu a nossa preocupação ao pedir que a categoria seja colocada como prioridade à vacinação. Sabemos as dificuldades do país para adquirir as vacinas, sabemos da luta do governo do estado também, mas se conseguir que dê prioridade, pois já perdemos motoristas do transporte coletivo e de cargas, a situação está bem difícil”, afirmou ao destacar alguns fatores que tornam a profissão insalubre, como barulho de motores, mas, segundo ele, com os cuidados necessários e vacinação poderão aliviar as circunstâncias.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook