Faissal aponta que doação da Energisa é irrisória e desafia empresa


Deputado propôs que concessionária isente hospitais de pagar contas de energia durante a pandemia

O deputado estadual Faissal Calil (PV) classificou como irrisória a doação de cilindros de oxigênio feita pela Energisa ao Governo do Estado. O parlamentar afirmou que a quantidade doada é ínfima perto do lucro que a concessionária teve em Mato Grosso no ano de 2020, num total de R$ 678 milhões. O legislador têm apontado nos últimos dias várias manobras contábeis efetuadas pela empresa para conseguir reajustes maiores nas tarifas cobradas aos cidadãos mato-grossenses.

Mato Grosso vive nos últimos dias o pior momento desde o início da Pandemia de Covid-19, chegando a passar de 100 mortes diárias e número recorde de infectados. O grande número de pacientes resultou em um colapso no sistema de saúde e há déficit de cilindros de oxigênio para atendimento daqueles que apresentam o quadro mais grave da doença. Faissal acredita que a ação da Energisa é pouco eficaz e propõe outra solução, caso a empresa queira mesmo colaborar com o combate ao novo coronavírus no estado.

“Por que ao invés de apenas doar cilindros de oxigênio, tão necessários neste momento de crise, a empresa também não isenta todos os hospitais de Mato Grosso de pagar suas contas de energia durante este período de pandemia. Seria muito mais interessante, tendo em vista que este dinheiro poderia ser aplicado em insumos hospitalares básicos e até mesmo na aquisição de vacinas. Fica a sugestão para a Energisa”, afirmou.

“Se formos calcular o custo destes cilindros, gira em torno de R$ 200 mil. Isso representa 0,0002% do lucro líquido da empresa no estado apenas em 2020. Só em emendas para os hospitais de Mato Grosso, já enviei muito mais do que isso em meus dois anos de mandato.

Comentários Facebook