Mato Grosso pode ter campanha de conscientização sobre automedicação animal


Foto: Marcos Lopes

O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), propôs uma campanha de conscientização sobre automedicação animal em Mato Grosso. Para isso, ele apresentou o Projeto de Lei 185/21, que se aprovado, normatizará a proposta.
Em tramitação desde o dia 22 de março, a iniciativa visa alertar sobre os perigos da automedicação de animais e estimular que os tutores busquem ajuda do médico veterinário, ação que ajudará também a combater a propagação de informações falsas sobre tratamento de animais.
Dessa forma, a campanha deverá informar a população sobre os cuidados necessários com os animais, com a divulgação sobre os perigos da automedicação, prática que pode agravar a saúde com problemas permanentes ou causar a morte.
No projeto, Botelho cita trecho das Constituições Federal e Estadual sobre a preservação do meio ambiente. Tendo como destaque a proteção da fauna e da flora, assegurando a diversidade das espécies e dos ecossistemas, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica e provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais à crueldade.
Reforça que a promoção de campanhas de conscientização deixará a população bem informada sobre os perigos da automedicação animal e a importância do acompanhamento médico veterinário regularmente. Bem como servirá de alerta sobre o hábito de buscar informações apenas na internet, que nem sempre são verídicas, podendo acentuar ainda mais o problema de saúde do animal, com a automedicação.
“Mesmo que a intenção seja a de ajudar, infelizmente é possível que a automedicação provoque consequências danosas à saúde animal, podendo levar até a morte. Assim, é necessário estimular que os tutores busquem orientação do veterinário sempre que o animal apresentar sinais de que não está bem. Portanto, é imperativo que o Poder Legislativo Estadual institua a campanha de conscientização contra a automedicação animal como forma de preservação à saúde”, afirma o deputado.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook